O Pós Modernismo e o Movimento Punk


O período do design gráfico pós-modernista surgiu por volta de 1960 a 1980 e tinha como significado principal o rompimento com os estilos vanguardistas do período moderno, como por exemplo, o Estilo Internacional, que se manifestou principalmente através do rigor e da precisão da escola suíça, que se tornou dominante desde a Bauhaus. No período pós-moderno a legibilidade é questionada, as peças gráficas não ficam tão óbvias como no período moderno, cria-se um paradigma onde o leitor deve ser conquistado. Dentre isso, à medida que o pluralismo crescia na sociedade, os designers passavam a contestar as doutrinas modernistas - será mesmo necessário a utilização de grids ou de outras “ferramentas” nas quais impõem regras? Dentre estes questionamentos e do desenvolvimento do design gráfico e sociedade, o homem pós-moderno passa há abandonar ordens em nome da liberdade individual, o que acabou provocando certo desconforto entre os designers mais conservadores da época, afinal, os designers que vinham do período moderno e principalmente, do Estilo Internacional, estudavam muito para se chegar a um conceito fiel à legibilidade na criação de suas peças.


No decorrer do período pós-moderno surgiu o movimento britânico punk, nele os designers fizeram uma fragmentação de imagens e tipografias distintas, onde o caráter era o rompimento com a previsibilidade dos designers profissionais. Surgiam assim os “antidesigners” que se utilizavam muito do experimental, como colagens, letras feitas à mão, utilização de máquina de escrever e muitos outros materiais para expressar o quanto eles eram contra todo aquele profissionalismo. Jamie Reid foi uma figura-chave nesse movimento com a criação de diversas peças gráficas, como por exemplo, capas de discos, cartazes de bandas de rock como Sex Pistols (1977).

Jamie Reid

Nascido em 1947 era um artista britânico anarquista, seus trabalhos continham letras recortadas de jornal, alfinetes, imagens rasgadas etc. Estes ruídos gráficos gerados por Reid são considerados como o trabalho fundamental no estabelecimento de uma estética visual diferenciada, o recurso era adotado por diversos designers, afinal, não se omitiam como no período modernista, o designer era mais expressivo, mostrava mais sua opinião e passava a ser mais presente realmente no estilo estético do layout.

O tempo pós-moderno é pautado muito pelo dinamismo no ambiente de convívio não só dos designers, mas da sociedade. Tudo o que é feito no dia a dia, se tratando de aspectos visuais, interferem diretamente na comunicação e dependendo do uso e aplicação, pode passar uma mensagem de agressividade ou de simpatia ao leitor, características das quais transpassam a parte estética do layout, contestando tudo o que há a sua volta.


Texto de Robson Lacerda




Quem sou


Robson Designer

Profissional formado em Tecnologia do Design Gráfico pela Universidade Sant'anna de São Paulo e Pós-graduado em Design Gráfico pelo Centro Universitário Senac.

Possui curso de extensão em Direção de Arte na Universidade Belas Artes e curso de Tipografia na OTSP - Oficina Tipográfica de São Paulo - SENAI.

4 anos de experiência em criação e vasto conhecimento na área.

Redes Sociais


Facebook Curtir Twitter Design Up

Solicitar Orçamento